terça-feira, 29 de novembro de 2011

Que nada, oh Deus!

   Que amor que nada! Isso é tudo papagaiada .. amor mesmo nunca senti. 
O que chamava de amor era aquele friozinho na barriga quando o tinha por perto e aquele coração saltitante quando ele me chamava de linda. Oh Deus, que nada ! 
    Que amizade que nada ! Isso é tudo papagaiada .. amizade mesmo só senti menos vezes do que os dedos que tenho em uma só mão. 
O que chamava de amizade era aquela saudadezinha nas férias e aqueles segredinhos bobos que criança. Oh Deus, que nada ! 
    Que saudade que nada! Isso é tudo papagaiada .. saudade mesmo sinto só de uma ou duas pessoas, e sem mais. 
Chamava de saudade qualquer lembrança que queria voltar atona, que queria tomar o lugar do meu presente e qualquer vontadezinha de sentir aquele cheirinho de novo. Oh Deus, que nada! 

    Que nada, que nada .. nem vivi ainda e já estava achando que sabia de tudo. Oh Deus, mande-me mais aventuras e sei lá, qualquer coisa que me faça dizer: " TAL COISA, que nada! Isso é tudo papagaiada... agora sim eu sei o verdadeiro significado! "